segunda-feira, 2 de abril de 2012

Ser, às vezes fere.



Hoje... hoje queria apenas tirar essa roupa de "mim". Roupa pesada, que me cansa do que sou.  Queria despir as responsabilidades. Eliminar as emoções. Porque ser, fere. Fere brutalmente. Sem direito a resposta. Vai desgastando aos poucos. Provoca hematomas. Deixa sequelas. 

Hoje me senti pesada. Pesada e sem forças para carregar tanta bagagem.  Chega um ponto que não da mais para fingir ser forte. Que uma felicidade forçada não aguenta o peso da vida.

Ser corroí, dói. Maltrata. Não sei se consigo, ainda. 
Preciso de um dia sem mim.
Necessito.


Amanda Laryssa

4 comentários:

doseilah disse...

E como fere... =/ Muito bom!

Anônimo disse...

Desculpa a chatice,mas juro que se trata de uma crítica construtiva,apenas uma correção e só faço porque simpatizei com o que escreveu.Onde está escrito "Chega um ponto que não DAR mais para fingir" é na verdade DÁ...Não estou me prevalecendo nem nada,erros de digitação acontecem mesmo,pelo menos no meu blog várias vezes,a gente descarrega o que tem em mente e nem se liga...No mais acho que compreendi o sentido do que escreveste,o quanto cansa mantermos nossos ideais,nossas vontades,nossa personalidade,o quanto trabalhoso é o fato de existir por mais que já esteja enraizado em nossa essência.Legal.

www.finzindefesta.blogspot.com

Amanda Laryssa disse...

Obrigada pela correção, "Calvin Watterson". Realmente escrevo sem prestar atenção nos detalhes e acabo errando na gramática ou na concordância... irei arrumar.

Lua ∞ disse...

"Preciso de um dia sem mim."
Acho que eu também...