domingo, 16 de setembro de 2012

Devaneios em tráfego


Noite. Trânsito. 
Entre as buzinas e as falácias, uma cabeça baixa. 
Alguns acordes se fazem trilha sonora.
 Pensamentos soltos, confusos. 
O FUTURO. Eis o duvidoso, causador de insônias e apertos.
Cansativo, nos coloca em pontes finas e inseguras. 
Sem destino certo, escolhe ao acaso seu fim.

Incertezas. Dúvidas.
Desgaste diário, se fará, quem sabe, em renovação.
Pensamentos longes e sonhadores.
Recortes do que virá adiante.
Será eu o que tenho hoje?
Aflição, não saber ao menos pitadas de passos à frente.
Ansiedade, desfoca sem querer o começo.

Ao romper da música...
O PRESENTE. Cada martírio por vez.
Sem trilha, o agora não tem seus encantos.
Mas precisa ser vivido. Agora.
Sem rebuços.

Amanda Laryssa

7 comentários:

Gabriela Freitas disse...

O trânsito pode vir a ser tão inspirador;

blogger disse...

A primeira vez que vejo uma poesia falando algo relativo ao trânsito, gostei. ;)

Filipe disse...

Nossa muito criativo o texto sobre transito, obrigado por ter passado no meu blog vou assinar o seu ta.

www.dayinhrell.blogspot.com

Raquel S. Ramos disse...

também costumo me perder em devaneios enquanto estou no trânsito, fazer como como você um balanço entre presente e futuro, muitas vezes botando o passado como um causador de ambos.

Thaís. disse...

Estar no trânsito (dirigindo em um engarrafamento ou dentro de um ônibus que também está na mesma situação), pode fazer a gente devanear assim, com o futuro e as infinitas possibilidades que ele guarde para nós. Mas no fundo, estou aprendendo que é melhor se preocupar com o presente e não planejar o futuro com tanta garra assim. Digo, não se agarrar a apenas uma possibilidade. Algumas coisas podem sair do rumo, devemos aproveitar as coisas como estão e estarmos preparados para um bom futuro, com obstáculos no caminho ou não. O que importa é sabermos lidar com essas coisinhas da vida.
Gostei daqui. Um beijo, @pequenatiss.

Aline disse...

Ah,o futuro é mesmo um filho rebelde!

Belas palavras, moça :)

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

É no q dá dirigir com sono.